Crônica do Click: Três palavrinhas mágicas

Por Bruna Binda, estagiária de jornalismo

Se o companheiro fala que te ama, então tá.

Ele te ama mesmo.

As três palavrinhas mágicas nem sempre são sinceras no namoro contemporâneo. Somente o tempo dirá se é real.

Em tempos de ‘rede sociais’, muitos casais vivem somente por aparência… Pelo interesse econômico… Pelo status em namorar uma pessoa que é considerada de fato interessante aos olhos dos outros.

Mas, interessante para quem?

Para a pessoa que está junto, nem tanto.

Para as pessoas que estão vendo, com certeza!

Não contar detalhes do seu relacionamento para outras pessoas, não quer dizer que você não ama o seu companheiro… Expor seu relacionamento, sua intimidade para estranhos, não é o caminho para provar que você ama a pessoa que está do seu lado.

Muitos se perdem em meio a busca pela aprovação de julgamentos dos seus seguidores.

A vida não precisa ser uma competição de quem tem mais curtidas, mais compartilhamento e seguidores.

Afinal de contas essas interações não pagam seus boletos.

Twittar e publicar histórias no Facebook, Instagram e Snapchat é saudável.

Prejudicial ao relacionamento é “stalkear” e fazer das redes sociais a sua morada e resumir o seu relacionamento a ela.

Desse jeito o amor nunca se tornará real!

Em tempos de evolução tecnológica o que nos diferencia dos robôs é o sentimento.

Sentir-se amado é sentir que a pessoa tem interesse real na sua vida…Que zela pela sua felicidade e se preocupa quando as coisas não estão dando certo em seu trabalho, com sua família. E não somente com a quantidade de curtidas em suas fotos.

Sugerir caminhos para melhorar o relacionamento, também faz parte.

Colocar-se a postos para ouvir… Para questionar… Para dar uma sacudida no companheiro para o relacionamento não despencar junto com a rotina.

“Eu te amo minha vida”… “Eu te amo meu bebê”.

Como saber se essas palavras são reais?

Se são faladas com sentimento?

É difícil saber.

Muitos têm medo de se apaixonar e quebrar a cara. Têm vergonha de se expor em uma rede social e não conseguir a quantidade de curtidas desejada.

Preferem ficar sozinhas, com o coração apertado do que acreditar que um “eu te amo” pode ser sincero.

Mas é preciso saber se essa sinceridade está em você e na pessoa que diz te amar.

Saber amar não é saber dizer “eu te amo” o tempo inteiro.

Saber amar é ter reciprocidade… Sentir-se feliz com a pessoa… Demonstrar com gestos simples o quanto o seu companheiro é importante na sua vida.

Saber amar é entender, compartilhar.

É viver a dois por completo.

O “eu te amo”  uma vez falado sem sentimento algum, perde o encanto, o relacionamento acaba e tudo pode desabar na vida da outra pessoa.

O amor pode significar muitas coisas.

Mas essas três palavrinhas mágicas se tornam ‘tudo’ se forem sinceras.

Essa é essência do amor

NOS CONTE O QUE VOCÊ ACHOU
0Gostei4Amei0Haha0Hum0Triste0Raiva

0 Comments

Deixe um comentário